domingo, 29 de novembro de 2009

Como planejar e iniciar suas pedaladas mundo a fora

Por Tadeu Matsunaga

Uma das atividades mais prazerosas dos ciclistas ou praticantes é o cicloturismo, que nada mais é que uma maneira saudável, econômica e ecológica de viajar e explorar o mundo a fora.

Existem alguns cuidados e providências, no entanto, que devem ser tomados para que um “marinheiro” de primeira viagem possa desfrutar tranquilamente da aventura.

Renato Moreira, que pratica cicloturismo desde os 14 anos e cursa educação física na Universidade de Marília, oferece dicas preciosas para aqueles que desejam adotar a atividade como meio de lazer e conhecimento.

Para ele, existem três pontos fundamentais para organizar uma viagem de bicicleta – planejamento, preparo físico e manutenção do equipamento.

“O planejamento engloba todos os contextos relacionados à viagem, tais como a rota que irá ser seguida, os principais pontos de apoio durante todo o percurso, distâncias entre cidades e também a qualidade das rodovias na qual o ciclista trafegará.

”Em relação ao preparo físico, Moreira acredita que esse elemento é chave para todo e qualquer cicloturista. “Podemos citar o preparo físico como a peça-chave de toda a realização da viagem, tendo em vista que para pedalar longos quilômetros o ciclista deve estar bem para aguentar longos dias na estrada, mantendo um ritmo considerável e também evitando possíveis problemas físicos durante a viagem.

”Já a manutenção deve ocorrer por parte do ciclista, que, por meio de um acompanhamento detalhado no desgaste das peças e na reposição imediata quando for necessário, evita possíveis dores de cabeça durante o andamento de uma viagem, tais como corrente quebrada, pneus furados dentre outros fatores.

A maioria dos cicloturistas afirma que, para realizar uma viagem adequada, o custo pode ser alto, mas essa situação pode ser amenizada. “A primeira hipótese a ser analisada é procurar entre amigos os equipamentos essenciais de ciclismo, como capacete, shorts adequado, luvas e a camisa”, disse. “A segunda hipótese a ser analisada pelo atleta basicamente é uma situação que muitos brasileiros utilizam a cada dia: a pesquisa. Existem diversas lojas especializadas que possuem equipamentos para diversas modalidades, inclusive para o ciclismo e com um preço bem mais acessível.

”Renato Moreira também comentou os locais ideais e favoráveis para uma boa pedalada. Ele citou, principalmente, estradas e parques localizados no interior de São Paulo. “Existem diversos parques estaduais, como o Carlos Botelho (localizado no município de São Miguel Arcanjo), o Parque Estadual de Intervales (localizado no município de Guapiara), região montanhosa com diversos declives acentuados, o PETAR -Parque Estadual Turístico do Alto do Ribeira - localizado no município de Iporanga, além do chamado "Caminho dos Tropeiros”, que engloba os estados de São Paulo e do Paraná.

”Em relação a entraves burocráticos que o ciclista/viajante possa enfrentar ao longo do trajeto, o cicloturista de 20 anos lembrou que o Código Brasileiro de Trânsito favorece a prática da atividade.

“De acordo com o código, toda bicicleta pode se locomover em qualquer rodovia estadual ou federal, desde que esteja no acostamento e o condutor esteja utilizando equipamentos de segurança. Esse direito está assegurado para todos os ciclistas que desejam realizar alguma viagem pelas estradas de nosso país, porém, em alguns casos, existe um abuso de autoridade de alguns policiais rodoviários em tentar proibir o cicloturista de pedalar em determinada rodovia”, ressaltou.

Moreira aconselha, no entanto, que todos se informem antes de embarcar em alguma viagem pelas rodovias do país. “Sempre é recomendado informar ao posto de polícia rodoviária de sua região sobre a viagem, o planejamento, as rodovias utilizadas e outros fatores a acrescentar. Outra dica importante é sempre ter em mãos documentos como RG e CPF para eventuais fiscalizações, como também a nota fiscal da bicicleta.
.
”Vale lembrar que, em caso de viagens internacionais, é necessária a retirada de passaporte e autorização para cruzar fronteiras – neste caso, o ciclista deve entrar em contato com a Polícia Federal de sua região para maiores informações e esclarecimentos.


Foto: Michel Mussi - ATRITO ZERO
Fonte: Prólogo

Nenhum comentário:

Postar um comentário